24 agosto, 2009

Pintura egípcia


32 comentários:

  1. A arte Egípcia surgiu a mais de 3000 anos A.C., mas é entre 1560 e 1309 A.C. que a pintura Egípcia se destaca em procurar refletir os movimentos dos corpos e por apresentar preocupação com a delicadeza das formas.

    O local a ser trabalhado primeiramente recebia um revestimento de gesso branco e em seguida se aplicava a tinta sobre gesso. Essa tinta era uma espécie de cola produzida com cores minerais.

    Os egípcios ao esculpir e pintar tinham o propósito de relatar os acontecimentos de sua época, as histórias dos Faraós, deuses e do seu povo em menor escala, já que as pessoas não podiam ser representadas ao lado de deuses e nem dentro de templos. Provavelmente eles não tiveram a intenção de nos deixar a "arte" de seus criadores.

    O tamanho das pessoas e objetos não caracterizavam necessariamente a distância um do outro e sim a importância do objeto, o poder e o nível social.

    Os valores dos egípcios eram eternos e estáveis. Suas leis perduraram cerca de 6.000 anos. O Faraó representava os homens junto aos deuses e os deuses junto aos homens, assim como era responsável pelo bem-estar do povo, sendo considerado também como um próprio Deus.

    Daniel Fernando Dedavid e Silva

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante a representação frontal do rosto das duas mulheres sentadas no meio da imagem. Cena realmente rara na pintura egípcia, nunca tinha visto.

    ResponderExcluir
  3. Após a invasão dos hicsos a arte denotou sugestões de todas as partes e descobriu que existia um mundo para além de suas próprias fronteiras , tradições e convenções.
    Há um enfoque mais dinâmico, naturalista, que encoraja o homem a deleitar-se na realização de novas descobertas.
    Começa a mostrar-se rudimentação de perpectiva no desenho, tentativas de composição em grupo mais coerentes.Um interesse mais vivo na paissagem, cenas e acontecimentos cotidianos.
    Joice Idaiane da Silva

    ResponderExcluir
  4. Apesar da dominação pelos Hicsos, a arte egípcia manteve-se, em sua alta qualidade, pois devia ser agradável às pessoas vestirem-se bem e perfumarem-se, não acabaram com a arte, mas acrescentaram à sua. Cultivavam festas, abundância nos banquetes, muita música, era uma nova vida.

    ResponderExcluir
  5. A decoração colorida era um poderoso elemento de complementação das atitudes religiosas.
    a hierarquia na pintura eram representadas maiores as pessoas com maior importância no reino, ou seja, nesta ordem de grandeza: o rei, a mulher do rei, o sacerdote, os soldados e o povo.
    As figuras femininas eram pintadas em ocre, enquanto que as masculinas pintadas de vermelho.

    ResponderExcluir
  6. Neste período notamos que iniciasse uma revolução na pintura, pois ela é mais naturalista, as pessoas são pintadas de forma mais realista, não apenas com o rosto de perfil e os olhos voltados para a frente, assim como a posição do corpo agora aparece de lado, virando-se para o lado e não só de frente,como eram pintados, foi uma grande mudança na pintura.

    ResponderExcluir
  7. Pinturas em ótimos estados de concervação,as imagens descevem uma vida cotidiana, festiva,agricola,familiar,de caça e devoção em quadros de um realismo vivo,representavam uma classe social, mais burguesa.

    ResponderExcluir
  8. Grande parte das pinturas eram feitas nas paredes das pirâmides. Estas obras retratavam a vida dos faraós, as ações dos deuses, a vida após a morte entre outros temas da vida religiosa. Estes desenhos eram feitos de maneira que as figuras eram mostradas de perfil. Os egípcios não trabalhavam com a técnica da perspectiva (imagens tridimensionais).
    As tintas eram obtidas na natureza (pó de minérios, substâncias orgânicas, etc).

    ResponderExcluir
  9. Com a mudança das dinastias aconteceram algumas transformações como pode-ser perceber no desenho em que a lei da frontalidade é transgredida, há cenas familiares e paisagens também já podem ser utilizadas .
    Guilherme Gomes

    ResponderExcluir
  10. Interessante como a pintura descreve também a vida cotidiana, a ruptura com a lei da frontalidade e o surgimento do naturalismo expressivo devido à mudança religiosa ocorrida na XVIII dinastia.

    ResponderExcluir
  11. De acordo com o texto sobre o fragmento da pintura de "Banquete para Nebamum", a partir da XVIII dinastia os egípcios modificaram sua maneira de observar a vida cotidiana, o que é visível através da pintura do mural tumular de Nebamum. Este momento da arte por sua vez tem uma excelente qualidade e elegância, característica desta dinastia, que demonstrava requinte e gosto por distrações como a música, dança, entre outros modos de ter prazer. Este último item se atém ao prazer sexual causado pela beberagem em conseqüência de reuniões com abundancia em comidas e mais ainda em bebes.
    A pintura propõe a cena de um novo momento na vida egípcia. Neste período os egípcios mostram uma enorme afabilidade pelo que os deixa belos, . a aparência é de todo zelo, nas suas veste e perucas .
    Um diferencial nesta pintura é que mostra as musicistas com uma representação lateral de seus rostos, porém com o olhar frontal, quebrando uma época de tradições limitadas.
    Olga Cristina

    ResponderExcluir
  12. A arte egípcia retratada nos túmulos registrava tudo que o povo acreditava que lhe daria satisfação, prazer e que fosse belo, após sua morte, tudo que ele gostaria de ter e fazer após sua morte.Também fariam parte desta nova vida os animais, a caça. Enfatizavam tudo que poderia ser erótico, sensual...

    ResponderExcluir
  13. A imagem demonstra a nova abilidade de se cacar com novas armas ou seja tentando se habituar a nova vida mas com um serto tom erotico por sertos animais como representaccao sexual.
    Aluna: Adrielli Vilharga Germano

    ResponderExcluir
  14. A composição é uma exemplo de como s convencionava determinar as dimensões das figuras conforme a hierarquia familiar e social, já que afirma-se que a pessoa ao seu lado seja sua esposa e abaixo de si seria sua filha.

    ResponderExcluir
  15. Na origem,essa pintura era parte de uma obra maior,que também incluía uma cena de pesca.
    a composição é um exemplo de como se convencionava determinar as dimensões das figuras conforme a hierarquia familiar e social.

    ResponderExcluir
  16. ESSA PINTURA É BEM DIFERENCIADA POIS MOSTRA A RUPTURA DA LEI DA FRONTALIDADE, E O SURGIMENTO DO NATURALISMO

    ResponderExcluir
  17. Temos, talvez, a impressão de não estar olhando, em primeira vista à uma pintura egípcia.
    Tal é a diferença em seus traços como, desenhos que outrora estavam em primeiro plano e neste fragmento já não se encontra, como os Hieróglifos. Mas o que mais marca em nosso olhar é a lei da frontalidade, que aqui, neste fragmento de pintura mural tumular com cena de banquete para Nebamun é deixada literalmente de lado.
    Tiago Greff

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Uma pintura Naturalista, que tambem representa técnicas da época, como a diferença de tamanho dos personagens diferenciando sua postura ou importância.

    ResponderExcluir
  20. Um exemplo de mudança das regras seguidas pelos artistas até então, que era a lei da frontalidade, onde o tronco era pintado de frente, enquanto cabeça e membros lateralmente. Cenas bem compostas, formas e cores naturalistas.
    Loreni Puntel

    ResponderExcluir
  21. Os egípcios em suas pinturas retratam um colorido vivo e fascinante,relatando acontecimentos do seu cotidiano.

    Geisebel de Oliveira

    ResponderExcluir
  22. A pintura e muito bonita, nunca tinha visto uma pintura egípcia com os rostos de frente. As cores tambem são muito intensas, vibrantes.
    Jackson G. Lippert

    ResponderExcluir
  23. Uma pintura naturalista,que retrata as crenças ea cultura de um povo, festas e crenças religiosas.

    ResponderExcluir
  24. A imagem é um exemplo de como se convencionava determinar as dimensões das figuras conforme a hierarquia familiar e social.
    Geisibel de Oliveira

    ResponderExcluir
  25. AS PINTURAS EGIPCIAS NOS MOSTRAM AS CULTURAS ARTISTICAS DAQUELA EPOCA A MUSICA E A DANÇA SUAS VESTES.

    Clair Winter

    ResponderExcluir
  26. Acho muito interessante a necessidade que os egípcios tinham em deixar marcados numa tumba, todo o cotidiano de suas vidas em pinturas codificadas com traços elegantes e cores requintadas . Suas pinturas eram extremamente realistas. Representavam também uma nova classe de clientes e uma educação mais burguesa.

    Teresinha Vicentini

    ResponderExcluir
  27. É facilmente percebida nas pinturas que focam Nebamum o quanto o mundo pós-túmulo é um lugar dedicado à prazeres e a beleza segundo os artistas. Essa vida eterna dos faraós poderia ser comparada com um paraízo, mas com prazeres sexuais diferentemente da visão de paraízo que tempos hoje.

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  29. traços simples mas com uma definição muito claro do atos diarios, como estas pinturas que revelavam um momento de manifestação cultural atraves da dança, algumas mulheres com adormos que revelam sua posição na sociedade assim podemos tambem observar o tamanho das figuras entre servos e realeza.

    ResponderExcluir
  30. Cada imagem é a representação simbólica de suas crenças: “... fisgar o peixe alude à nova vida, e o peixe fisgado, a tilápia, é o símbolo do renascimento.”

    ResponderExcluir
  31. Nesta segunda pintura egípcia podemos observar que os hieróglifos mostram o que há de belo no lugar da eternidade. Na pesca dos peixes o significado que há uma nova vida. Pelo penteado, vestimenta requintada e maço de flores e essência tinham conotação erótica.

    Teresinha V A

    ResponderExcluir
  32. *Trabalho da escola : queria saber na sua opiniao qual a importancia da pintura na arte Egipcia ?
    obrigado desde ja

    ResponderExcluir